Artigos, Termografia Médica

Um exame é definitivo para um diagnóstico? Por que solicitar exames complementares?

Nenhum exame esgota todas as possibilidades médicas diagnósticas, se assim fosse bastaria um único exame.

Todo exame médico tem uma margem de probabilidade diagnóstica na dependência individual e da fase evolutiva da doença do paciente. Ademais estão vinculados à interpretação do médico para que se possa tomar um tratamento inicial e ver sua resposta.

A Medicina é complicada e as doenças e corpo diferem.

Qual o grau de confiança que sentimos ao observar um pedaço de papel?

Exames modernos nos quais depositamos nossa confiança também não são perfeitos.

Consideremos a radiografia. Um dos achados mais básicos que procuramos numa radiografia de tórax é o tamanho do coração – está normal ou aumentado?

Trata-se de uma pergunta bem direta, e uma radiografia de tórax deveria ser capaz de responder a ela com bastante precisão. Isso posto, se a mesma radiografia for analisada por mais de um radiologista, o grau de concordância deles segundo a estatística é de 48%. Esse cálculo leva em consideração o fato de que, às vezes duas pessoas irão obter resultados semelhantes por puro acaso e outras vezes graus de concordância reais.

Em outras palavras, depois de levarmos em consideração as concordâncias atribuíveis ao acaso, existe uma boa chance de que dois radiologistas discordem ao menos algumas vezes.

A mesma discordância ocorre em outras áreas da radiologia – os problemas com a mamografia são os mais bem-descritos. Calculou-se que a estatística de concordância desse exame é de 47 (chamado valor kappa). Ao analisar mamografias, os especialistas nesse exame concordam uns com os outros cerca de 78% das vezes. E para indicar biópsia não há concordância em 14% das vezes.

A Termografia Médica é um exame que tem ganhado cada vez mais espaço junto com a avaliação clínica e ultrassonografia para auxiliar na decisão clínica nestes casos. Enquanto a mamografia avalia a densidade, a Termografia Médica analisa a atividade metabólica e aumento de novos vasos sanguíneos no tecido mamário. A repetição de uma exploração de mamas com Termografia Médica pode mostrar a evolução de uma condição não benigna ainda indeterminada ou duvidosa na mamografia. Por se tratar de um exame inócuo, sem contraste, sem radiação, sem dor ou contato, pode auxiliar a descartar ou confirmar situações encontradas em outros exames e na avaliação física.

Isto é, apoiar um exame clínico racional e ajudar ao médico fazer a escolha certa. Pois, nenhum exame é 100%. Mesmo com biópsia não há 100% de certeza diagnóstica.

  • Se um exame sugerir a presença de um diagnóstico específico, ele se concretizará? Nem sempre. Estudos têm mostrado que pacientes mesmo com diagnóstico de câncer de próstata, tireóide e até mesmo de mama não chegam a morrer desta doença e sim de outras. Segundo Dr Welch ainda faltam métodos diagnósticos que possam avaliar melhor a agressividade destes tumores detectados muito precocemente antes de tomar medidas terapêuticas agressivas como cirurgia, radio ou quimioterapia em situações que talvez o paciente nunca viesse a morrer por causa daquele tumor, e sim por outros problemas de saúde como doença cardiovascular, trauma, pulmonar ou até mesmo outro câncer.
  • Se o exame sugerir que o paciente não tem a doença, podemos descartá-la? Não podemos. O fato de um exame resultar negativo não significa que a doença não existe. E sim de que a mesma pode não ser detectável por aquele método.

A conclusão prematura é a causa mais comum de falta médica diagnóstica, pois a partir do momento que se define uma única possibilidade inicial o raciocínio clínico cessa. Importante sempre revisar todas as informações, possibilidades e detalhes.

Há mais de 30 anos que vem se estudando a tecnologia do infravermelho. A Termografia Médica sempre foi subestimada com o avanço dos estudos de mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética, mas hoje tem seu espaço por se tratar do único exame funcional da mama. Isto é, enquanto os outros analisam alterações anatômicas já estabelecidas a Termografia Médica infravermelha ultra-sensível estuda as alterações metabólicas e vasculares que surgem muito antes do tumor se instalar. Estudos têm se concentrado na angiogênese e no comportamento metabólico destes tumores e a Termografia Médica é o meio já utilizado na investigação de novas drogas antineoplásicas e quimiopreventivas.

A Termografia Médica é solicitada para dar apoio ao esclarecimento e confirmação diagnóstica:

  • Gerir e acompanhar paciente corretamente
  • Planejamento
  • Evolução
  • Avaliação geral
  • Intervenções

 

Referências

  • Elmore JG(1), Wells CK, Lee CH, Howard DH, Feinstein et al. Variability in radiologists’ interpretations of mammograms. N Engl J Med. 1994 Dec 1;331(22):1493-9.

 

  •    Welch HG, Prorok PC, O’Malley AJ, Kramer BS. Breast-Cancer Tumor Size, Overdiagnosis, and
    Mammography Screening Effectiveness. N Engl J Med. 2016 Oct 13;375(15):1438-1447.

 

  •    Gautherie M, Haehnel P, Walter JP, Keith LG. Thermovascular changes associated with in situ and minimal breast cancers. Results of an ongoing prospective study after four years. J Reprod Med. Nov 1987;32(11):833-842.

 

  •    Gautherie,M.,Thermo biological assessment of benign and malignant breast diseases. Am. J. Obstet. Gynecol., 147, 861, 1983.

 

 

  • Getson P, Schwartz RG, Brioschi MD, Pittman J, Rind B, Crawford J, Usuki H, Amalu W, Head J. Guidelines for Breast Thermography. Pan American Journal of Medical Thermology, v. 2, p.26-34, 2015.

 

  • Guidelines for Breast Thermography. Pan American Journal of Medical Thermology, v. 2, p.26-34, 2015.

 

  • Hobbins, W.: Abnormal Thermogram — Significance in Breast Cancer. RIR Interamer. J. of Rad., 12:337-343, 1987.

 

  • Hobbins, W., Significance of an “isolated” abnormal thermogram. La Nouvelle Presse Medicale, 10,3155, 1981.

 

 

  •   K.C.C. Morais, J.V.C. Vargas, G.G. Reisemberger, F.N.P. Freitas, S.H. Oliari, M.L. Brioschi, M.H. Louveira, C. Spautz, F.G. Dias, P. Gasperin Jr., V.M. Budel, R.A.G. Cordeiro, A.P.P. Schittini, C.D. Neto. An infrared image based methodology for breast lesions screening Infrared Physics & Technology, Volume 76, May 2016, Pages 710-721

 

  •   Keyserlingk J et al., Infrared Imaging of the Breast: Initial Reappraisal Using High-Resolution Digital Technology in 100 Successive Cases of Stage I and II Breast Cancer. The Breast Journal Vol 4, July/Aug 1998.

 

  •   Keyserlingk JR, Ahlgren PD, Yu E, Belliveau N, Yassa M. Functional infrared imaging of the breast. IEEE
    Eng Med Biol Mag. May-Jun 2000;19(3):30-41.

 

  •   Pinotti JA, Collier AM. Subclinical detection of neoplastic lesions of the breast by plate thermography. Experience with 3000 cases examined. AMB Rev Assoc Med Bras. 1981 Oct;27(10):294-6.

 

  •   Souza GA, Brioschi ML, Vargas JV, Morais KC, Dalmaso Neto C, Neves EB. Reference breast temperature: proposal of an equation. Einstein (Sao Paulo). 2015 Oct-Dec;13(4):518-24. doi: 10.1590/S1679-45082015AO3392.

 

  •   Wang J, Chang KJ, Chen CY, Chien KL, Tsai YS, Wu YM, Teng YC, Shih TT. Evaluation of the diagnostic performance of infrared imaging of the breast: a preliminary study. Biomed Eng Online. 2010 Jan 7;9:3. doi: 10.1186/1475-925X-9-3.

 

  •   Amalu WC. Nondestructive testing of the human breast: the validity of dynamic stress testing in medical infrared breast imaging. Conf Proc IEEE Eng Med Biol Soc. 2004;2:1174-1177.

 

  •   Anbar M. Hyperthermia of the cancerous breast: analysis of mechanism. Cancer Lett 1994; 84:23-29

 

  •   Arora N, Martins D, Ruggerio D, et al. Effectiveness of a noninvasive digital infrared thermal imaging system in the detection of breast cancer. Am J Surg. Oct 2008;196(4):523-526.

 

  • Gautherie M. Thermopathology of breast cancer: measurement and analysis of in vivo temperature and blood flow. Ann N Y Acad Sci. 1980;335:383-415.

 

  •   Gonzalez FJ. Infrared imager requirements for breast cancer detection. Conf Proc IEEE Eng Med Biol
    Soc. 2007;2007:3312-3314.

 

  •   Harold J. Isard, Warren Becker, Ruth Shilo, Bernard J. Ostrum. Breast thermography after four years and 10,000 studies. American Journal of Roentgenology. 1972;115:811-821. 10.2214/ajr.115.4.811

 

  •  Head JF, Elliott RL. Infrared imaging: making progress in fulfilling its medical promise. IEEE Eng Med Biol Mag. Nov-Dec 2002;21(6):80-85.

 

AVISO IMPORTANTE:
O conteúdo deste site é de caráter educativo e não deve ser considerado consulta médica, provável diagnóstico ou tratamento recomendado. Todas as imagens com pacientes e terceiros têm sua autorização escrita.
Site educativo do Dr. Marcos Brioschi, médico. Medicina diagnóstica, termografia médica para diagnóstico da dor, prevenção de lesões esportiva e no trabalho, atividade metabólica, risco cardiovascular, avaliação da mama

© 2007-2017 Canal InfraRedMed – Dr. Marcos Brioschi. Todos os direitos reservados.